Artigos

Open Banking: conheça o novo modelo financeiro

O Open Banking já está sendo implantado em nosso país. Seguindo o exemplo de outros locais que o adotaram, essa implantação permite:

  • aumentar a concorrência entre as instituições financeiras,
  • facilitar e desburocratizar as operações para os correntistas, quando há a contratação de produtos em outras instituições, 
  • possibilitar a criação de novos produtos financeiros para a população,
  • baixar os custos das operações bancárias.

Esse modelo surgiu no Reino Unido, em 2018, e atualmente vem sendo implantado na Austrália e Índia.

Já os Estados Unidos, a Rússia e o Canadá estão na fase de estudos para incorporarem essa solução aos seus sistemas financeiros.

Neste post, apresentaremos o Open Banking e detalhes de como esse modelo financeiro pode colaborar e facilitar a vida das pessoas. Continue lendo e saiba mais a esse respeito!

O que é Open Banking?

O Open Banking é um conjunto de regras e tecnologias. Ele permite que, a partir da autorização do correntista, os dados e histórico sejam compartilhados entre os bancos participantes.

Isso permite que as pessoas físicas e jurídicas tenham acesso a produtos de outras instituições financeiras, onde o processo de análise de documentos e liberação de crédito seja facilitado, porque as informações estarão previamente disponíveis.

Todas as instituições financeiras classificadas como S1 e S2, pelo Banco Central, terão a obrigação de participarem desse modelo.

S1 são os bancos que possuem porte igual ou superior a 10% do PIB, ou atividade internacional relevante.

S2 são aquelas que possuem entre 1% e 10% do PIB.

Outras instituições financeiras, que não façam parte do S1 e S2, podem escolher entre participar ou não desse novo modelo.

Como funciona?

O Open Banking já está em fase de implantação no Brasil, onde foi dividido em 4 fases:

Fase 1

A fase 1 teve início em 1º de fevereiro de 2021, seu objetivo é permitir que as instituições financeiras disponibilizem ao público informações sobre os produtos e serviços que oferecem, além dos seus canais de comunicação.

Essa ação possibilita que as pessoas possam comparar tarifas bancárias, tipos de contas e cartões de crédito.

Fase 2

A fase 2, iniciada em 13 de agosto de 2021, possibilita que os clientes que tiverem interesse autorizem o compartilhamento de seus dados com outras instituições financeiras.

Essa ação permite que outros bancos possam oferecer produtos e serviços voltados ao perfil do cliente, através de soluções com custos menores, agilidade e diferenciais que julguem interessante.

Fase 3

A fase 3 tem o seu início em 29 de outubro de 2021, quando a integração de serviços a partir das transações de pagamento, a começar pelo Pix, serão implantadas.

Essa fase permitirá que o usuário possa iniciar a transação a partir do WhatsApp, por exemplo. 

Também será iniciado o processo de compartilhamento do histórico de informações financeiras dos clientes, das diversas instituições.

Fase 4

Por fim, a fase 4, que será iniciada em 15 de dezembro de 2021, possibilitará o compartilhamento de dados de serviços relacionados a:

  • câmbio,
  • credenciamento,
  • seguro,
  • investimento,
  • previdência,
  • conta salário.

Quais são os benefícios do Open Banking?

Os clientes que concordarem em compartilhar seus dados entre as instituições financeiras terão facilidades em receber propostas e conhecer detalhes dos serviços prestados pelos bancos.

O Open Banking possibilita diversos benefícios à sociedade, onde se destacam:

  • novos modelos de negócios financeiros,
  • inclusão de segmentos que não estão assistidos pelo modelo tradicional,
  • o consumidor é o centro e objetivo das instituições financeiras,
  • maior transparência nas transações,
  • portabilidade de relacionamentos entre as instituições,
  • melhora do controle sobre as finanças.

O Open Banking oferece a possibilidade do correntista localizar melhores serviços, com custos e tarifas mais atraentes, segurança e conforme a sua necessidade.

Portanto, abre oportunidades que até então eram difíceis de serem localizadas, utilizando-se as vias normais.

Agora que você sabe o que está vindo por aí, leia também nosso post que apresenta o DPO: profissional essencial em tempos de LGPD!

(Imagens: divulgação)

Autor

Relacionamento CL9 - Tecnologias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esses cookies são usados para rastrear a eficácia da publicidade, fornecer um serviço mais relevante e anúncios melhores para atender aos seus interesses.

Privacy Settings saved!
Configurações Avançadas de Cookies

Quando você visita qualquer site, ele pode armazenar ou recuperar informações em seu navegador, principalmente na forma de cookies. Controle seus serviços de cookies pessoais aqui.

Esses cookies permitem funcionalidades essenciais, tais como: segurança, verificação de identidade e gestão de rede. Esses cookies não podem ser desativados.

Esses cookies permitem funcionalidades essenciais, tais como: segurança, verificação de identidade e gestão de rede. Esses cookies não podem ser desativados.

Esses cookies são usados para rastrear a eficácia da publicidade, fornecer um serviço mais relevante e anúncios melhores para atender aos seus interesses.

Esses cookies coletam dados para lembrar as escolhas que os usuários fazem e para melhorar e proporcionar uma experiência mais personalizada.

Esses cookies nos ajudam a entender como os visitantes interagem com nosso site, descobrir erros e fornecer uma melhor análise geral.

Cancelar Todos
Aceitar Todos

Design by VENONE Agência de design