Artigos

O que é Design Thinking e qual é sua relação com a proteção de dados?

O Design Thinking é uma abordagem criada para organizar todos os processos da empresa e torná-la mais eficiente de forma geral.

Dessa forma, é possível se destacar no mercado e conquistar os clientes.

Mas, o que muitas pessoas não sabem, é que é possível aplicar essa abordagem para promover a proteção de dados dos usuários.

Quer saber mais? Então, continue lendo e tire suas dúvidas sobre o Design Thinking.

O que é Design Thinking?

O Design Thinking é uma abordagem que faz com que o cliente seja o foco de todos os processos.

Nesse caso, todos os profissionais dos diferentes segmentos da empresa devem se unir para compreender o que os consumidores desejam e atender os seus clientes de forma personalizada.

Para isso, deve-se basear todas as práticas em três pilares:

  • Empatia: é preciso compreender os clientes para criar soluções que ajudem, sem se basear em nenhuma suposição.
  • Colaboração: ao invés de separar os processos para cada setor trabalhar individualmente, deve-se buscar a união e o conjunto, para ter bons resultados.
  • Experimentação: para garantir o sucesso da solução e dos processos, é preciso testar para criar um ciclo de aperfeiçoamento contínuo.

Quais vantagens do Design Thinking?

Por meio desses três pilares, o Design Thinking traz diversas vantagens para os negócios que apostam nessa abordagem, tanto para os colaboradores quanto para os clientes.

Entre as principais, podemos citar:

  • fidelização e satisfação dos clientes,
  • melhora contínua dos processos,
  • união do time em prol de um objetivo compartilhado,
  • criação de um ambiente de trabalho melhor,
  • mais liberdade para os profissionais,
  • facilidade para modificar os processos e aprimorá-los.

E também há ganhos financeiros. Já que, conforme a McKinsey, empresas que seguem as práticas de Design Thinking aumentam cerca de 33% as suas vendas e têm um retorno 50% maior do que os outros negócios.

Por todas essas razões, marcas famosas mundialmente, como a IBM, o Google, o Airbnb, a PepsiCo e a Nike, utilizam essa abordagem.

Conheça algumas aplicações

O Design Thinking deve ser aplicado em todos os processos da empresa, desde a criação de novas soluções até o atendimento ao cliente. Tudo isso deve ocorrer integradamente.

Mas, até que toda a implementação seja completa, é possível fazer isso de forma isolada, em cada departamento, como:

  • gestão,
  • marketing,
  • vendas,
  • planejamento estratégico,
  • desenvolvimento de soluções.

O importante é que exista um desafio a ser superado ou um processo que precisa ser melhorado, o que é verdade na maioria dos setores empresariais.

Além disso, também é possível utilizar o Design Thinking para fazer a proteção de dados.

Proteção de dados

Muitas empresas estão enfrentando o desafio de fazer a adequação dos seus processos para o cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Para isso, deve-se ir além da compreensão da LGPD, é preciso entender realmente o que os clientes desejam em relação aos seus dados.

A partir do mapeamento do que já se sabe e do que ainda é necessário aprender, é possível criar estratégias baseadas em:

  • privacidade como padrão,
  • privacidade incorporada ao design,
  • segurança completa,
  • transparência.

Ainda tem alguma dúvida sobre o tema? Então, entre em contato conosco! Ficaremos felizes em ajudar você a implementar o Design Thinking para a proteção de dados.

(Imagens: divulgação)

Avatar

Autor

Relacionamento CL9 - Tecnologias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Design by VENONE Agência de design